A Associação Nacional de Juristas Evangélicos (Anajure) pediu para entrar no Comitê sobre Organizações Não-Governamentais (ONGs) das Nações Unidas, mas nesta segunda-feira (20), através de seu representante, a China emperrou a votação, pedindo mais explicações sobre a entidade.

As ONGs credenciadas no Comitê com status consultivo para poder emitir opinião nos fóruns das ONU e encaminhar documentos sobre assuntos a que se dedicam para apreciação dos diplomatas.

Ao solicitar mais informações, a China quer saber sobre a presença da Anajure e suas atividades no exterior.

As críticas da entidade evangélica à falta de liberdade religiosa na China pode ter sido a real motivação.

Se for aceita, a Anajure será a primeira entidade de viés religioso-protestante na ONU.